Buscar
  • Julio Prado

O papel e sua importância para um bom resultado na impressão - Como os papéis artísticos são feitos.

Para a maioria das pessoas é um grande desafio imaginar qual o melhor papel para um determinado trabalho, seja ele um original, uma reprodução ou até mesmo a impressão de uma fotografia ou  criação digital.


Que textura de papel combina com o meu trabalho? Qual é a diferença entre o papel feito pelo tradicional método de molde e o "moderno" método Fourdrinier, ou seja, papéis mais artesanais ou mais industriais? Quais são as diferenças entre as várias superfícies? Que gramatura deve ter meu papel para pintura, gravura ou fotografia?


Todas estas perguntas foram respondidas numa série de posts no blog da Hahnemühle e usadas como referência para este post no blog do Papel Algodão Ateliê.

Como vocês sabem, somos um estúdio certificado pela Hahnemühle.

A Hahnemühle, há mais de 400 anos, é especialista em produzir papéis artísticos para atender aos artistas e fotógrafos mais exigentes. Por estas razões, nós os usamos como referência quando o assunto é papel para impressões de qualidade.

Eles usam técnicas e fórmulas comprovadas, além de matéria-prima de altíssima qualidade para produção dos papéis que nós utilizamos nas nossas impressões



Não é por acaso que em 2019 os produtos da Hahnemuhle receberam o selo de qualidade "Marca do século" para empresas alemãs.




Ao longo de quase sete anos venho trabalhando com estes produtos e tomei a experiência e informações adquiridas como referência e complementei com uma série de pesquisas, que usarei para responder a pergunta a seguir.


Por que o papel é tão importante para o sucesso de sua obra de arte ou fotografia?


Quando o papel não é adequado, mesmo as cores e tintas mais intensas não brilham, a água encharca o papel, os pincéis não dão o resultado desejado. Como consequência, sua idéia artística não torna-se realidade. Embora seja verdade que os materiais de alta qualidade tenham seu preço, eles certamente o poupam de muita frustração, são duradouros e adicionam um toque final exclusivo à sua obra de arte ou fotografia. Mesmo os iniciantes conseguem um resultado muito bom logo no começo, quando usam material de qualidade.

É por isso que a maioria dos artistas e fotógrafos não economizam nos materiais, principalmente nos papéis e tintas.


Vamos começar entendendo o processo de produção.


Processo tradicional de molde


No processo artesanal de produção de papel, uma solução aquosa contendo as fibras de algodão ficam em um tanque e através de uma espécie de peneira ou molde vazado, são retiradas e formam uma superfície com certa espessura que depois de prensadas e secas, formam as folhas de papel. Este é um processo trabalhoso e demorado, porém produz papéis de excelente qualidade. O papel feito desta forma se caracteriza pelas fibras estarem depositadas de forma desordenada, o que no caso do papel para aquarela, permite que as cores fluam em todas as direções.


Neste curto vídeo disponível no canal da Hahnemühle no Youtube, vocês podem ver através de uma série de gravuras as etapas do tradicional processo de fabricação do papel.



Neste outro vídeo de 1976, feito na fabrica da família Green na Inglaterra, um registro valioso das etapas de produção. No Youtube é possível ativar as legendas para entender melhor a narração do processo. Vale a pena assistir. Vejam quanto conhecimento, prática e dedicação são necessários. Vale mencionar, a importância da matéria prima, principalmente o algodão e a água.


Caso tenha dificuldade em acompanhar a narrativa, aqui um outro vídeo do processo executado na fábrica da Fabriano na Italia. Sem narração, somente imagens e uma trilha sonora. Vale muito a pena assistir aos dois para entender a técnica e a tradição existentes na fabricação de bons papéis. São dez etapas neste processo.


Processo tradicional com molde cilíndrico.


Para atender a uma demanda crescente, uma máquina de molde cilíndrico foi desenvolvida. Com ela foi possível aumentar a produção sem perder a característica e qualidade do processo artesanal. Esse processo produz resultado semelhante ao manual com excelente qualidade.  Esta maquina possui um cilindro que fica dentro do tanque com as fibras. Ao girar, este cilindro retém e forma na sua superfície uma camada de algodão que é depois depositada sobre um feltro ainda úmida.

A velocidade da máquina de molde cilíndrico para papel é relativamente lenta, de apenas 4 m / min a 15 m / min. No entanto, esse processo de produção, que possui um caráter artesanal, garante os requisitos de alta qualidade que o papel moldado genuíno deve atender. 


Neste outro vídeo também da Fabriano um exemplo de uma máquina destas em funcionamento. Note que neste caso podem ser até 15 etapas necessárias para garantir a homogeneidade e qualidade da produção. Cinco a mais que o processo manual.


Na Hahnemühle, água mineral extremamente pura , fibras de algodão criteriosamente selecionadas, além de outros ingredientes como amido, carbonato de cálcio e giz, são misturados e diluídos dentro de um tanque. As fibras originalmente vinham de trapos de tecido (rag ) e hoje em dia veem de uma polpa de algodão. No tanque, um cilindro de molde gira lenta e uniformemente. O papel é formado no ponto mais alto do cilindro. É ali que as fibras de algodão se acomodam de maneira desordenada e se combinam para formar uma superfície úmida. As fibras depositadas de forma desorganizadas, fazem com que as tintas "fluam" de uma maneira livre e característica dos papéis de molde artesanal.

Durante o processo de produção de papel, a água escorre primeiro pelo interior do cilindro que é vazado como uma peneira. Depois essa camada de algodão é depositada entre feltros ainda muito úmida. Os feltros transportam esta camada ainda mais para dentro da máquina de papel, Estes feltros, fornecem a porosidade desejada de acordo com a textura na parte superior e na parte inferior são responsáveis por drenar o papel do excesso de água. A marca d’água e bordas podem ser aplicadas ao molde do cilindro com um fio de cobre. Neste ponto saliente do molde onde esta o desenho da marca água ou bordas, menos fibras são depositadas, deixando o papel mais fino . O papel mais fino permite a passagem da luz (marca d'água) ou o papel pode rasgar nesses pontos, formando as das folhas conhecidas como "deckle edges".


Isto permite que papéis com bordas originalmente rasgadas ou esgarçadas ( deckle edge ) possam ser produzidas nesta maquina.








Nos pontos onde estes fios de cobre são aplicados, eles formam linhas divisórias e devido às diferentes velocidades de rotação do cilindro e da esteira, o papel ainda úmido na máquina é rasgado no ponto mais fino.


Veja no vídeo a seguir como isso é feito na fabrica da Hahnmühle em Dassel na Alemanha.



Neste outro vídeo, uma reportagem feita em 2009 pela TV alemã DW TV mostra parte do processo. Vejam como as matérias primas, água e tradição são importantes para terem se tornado um dos mais importantes produtores mundial de papeis artísticos com pouco mais de 200 funcionários no mundo.



Além de folhas, podem ser produzidos rolos nas máquinas de molde cilíndrico. Este papel em rolo pode depois ser cortado e processado em blocos e cadernos de pintura,  ou em folhas para pintura ou desenho em vários tamanhos.


A máquina de papel para molde cilíndrico pode ser usada para fazer papéis com gramaturas entre 80 g / m² e 600 g / m² e produz papéis de artísticos muito finos e muito resistentes.


Os papéis Hahnemuhle produzidos pelo genuíno processo de molde,  são reconhecidos pelo selo ou etiqueta com o símbolo vermelho alaranjado na sua embalagem.










Processo Fourdrinier


Uma máquina e processo ainda mais rápido foi patenteada em 1806 na Inglaterra por Henry and Sealy Fourdrinier. Este processo deixa as fibras do papel alinhadas numa determinada direção e são utilizadas para produção em larga escala. São muito velozes e muito maiores que as maquinas de molde cilíndrico. Chegam a velocidade de 1400 m / min. Cerca de 100 vezes mais rápidas que as maquinas de molde cilíndrico tradicionais. As maquinas desse tipo utilizadas na Hahnemühle chegam a velocidade até 105m / min ou 10 vezes mais rápidas que as do método molde.


O coração da máquina de papel Fourdrinier é um molde de plástico plano e de rotação contínua. A mistura de fibras e água flui uniformemente sobre ele. A água escorre pelo molde, enquanto as fibras de papel são depositadas alinhadas na direção de funcionamento da máquina e aderem formando o papel no molde. A partir dai , os feltros assumem o transporte através da máquina. A trama de papel passa por cilindros aquecidos a vapor entre dois feltros. A folha de papel é seca e prensada. Os feltros Hahnemühle são feitos de lã ou tecidos mistos que compostos de fibras sintéticas e lã. Eles marcam a superfície do papel com sua textura característica. Isso garante que todo lote possui sempre a mesma textura. Importante: Na Hahnemühle, os papéis são marcados durante o processo de produção. Os verdadeiros papéis artísticos são feitos desta forma. Os papéis artísticos que, por outro lado, são gravados em relevo quando a produção é concluída, geralmente parecem inferiores. Todos os papéis da máquina Fourdrinier são delicadamente secos e alisados, verificados continuamente e depois enrolados. A máquina de papel opera a uma velocidade de até 105 m / min.

As etiquetas vermelhas escuras indicam os papeis feitos com esta técnica. O fato de todas as fibras serem depositadas na direção de operação da máquina é característico desse processo de produção. O comportamento do fluxo de tintas aquarela pode ser facilmente previsto e influenciado neste papel.








Os papeis artísticos e os papeis para impressão fine art


Por volta de 1990, foi criado o processo de impressão fine art, utilizando impressoras jato de tinta. A Hahnemuhle, inicialmente usou como base os mesmos papeis, já produzidos segundo as técnicas vistas acima, para a reprodução de obras de arte. Existe entretanto uma diferença entre os papéis artísticos tradicionais e os papéis para impressão fine art.

A superfície do papel para impressão, recebe um revestimento especial ( coating ). Este coating permite que a tinta não se espalhe, e confere características únicas de brilho, contraste e opacidade, dependendo da sua formulação e aplicação. Ele também ajudará a preservar as cores e longevidade das reproduções.

8 visualizações

© 2017 por Julio Prado